Dubai determina tarifas agressiva para sua primeira usina de torre

Em julho, a Dubai Electricity and Water Authority (DEWA) selecionará o vencedor da primeira licitação de torre heliotérmica dos Emirados Árabes Unidos. A DEWA chamou projetos para uma usina de torre de 200 MW com um mínimo de oito horas de armazenamento. A planta deverá estar em funcionamento até 2021.

A licitação deve apresentar "preços agressivos" devido a um forte quadro regulatório, ao perfil do projeto e ao atual número limitado de propostas heliotérmicas no mercado global, disse Inaki Perez, Solar Team Leader da Mott MacDonald, na conferência MENA New Energy 2017.

Concebida para otimizar os custos ao longo do ciclo de vida do projeto, desde a fase de engenharia até às operações, a licitação contempla duas torres de 100 MW, uma vez que representam uma solução econômica nesta fase de desenvolvimento global da heliotermia, disse Perez. Dubai planejou um custo de US$ 80/MWh para o projeto, mas os ganhos de tecnologia e eficiência em outros países mostram que custos ainda mais baixos são possíveis.

O projeto faz parte da quarta fase de desenvolvimento do Parque Solar Mohammed bin Rashid Al Maktoum (MBR), que vai receber 1 GW de capacidade solar até 2020. Até 2030, o Parque terá 5 GW de capacidade de energia solar, incluindo 1 GW de capacidade heliotérmica, ajudando Dubai alcançar sua meta de 25% de energia proveniente de fontes renováveis.

A configuração das duas torres de 100 MW "oferece um bom equilíbrio entre economia de escala e um design que testado em projetos anteriores – é uma oportunidade significativa de economia de custos em comparação com uma única torre de 100 MW", disse Perez.