Na China, 1.35 GW de energia HLT será instalado até 2018

A Administração Nacional de Energia da China (NEA) divulgou uma lista de vinte projetos de energia heliotérmica, com uma capacidade combinada de 1.349 MW. Espera-se que complexo de usinas seja colocado em operação até o final de 2018. As indústrias fizeram um chamado para todas as partes envolvidas, incluindo autoridades locais e empresas de energia, para trabalhar em conjunto e concluir os projetos dentro do prazo.

As usinas heliotérimicas terão capacidade de armazenamento térmico, utilizando sal fundido e outras tecnologias. Estão contemplados no projeto 9 torres solares, 7 plantas de discos parabólicas e 4 plantas coma tecnologia Linear Fresnel. Além disso, a energia produzida será subsidiada para manter um valor fixo de U$0,22/kWh, utilizando uma política chamada de feed-in-tariff (FIT). Os preços da energia serão reexaminados e ajustados após 2019, com base na evolução da indústria.

De acordo com o comunicado da NEA, a primeira leva de usinas de demonstração solar heliotérmica será distribuída pelas províncias de Qinghai, Gansu e Hebei, no interior da Mongólia e nas regiões autônomas de Xinjiang Uygur. Essas regiões contam com áreas áridas e desertas, que configuram as condições ideais para a heliotermia.

A lista divulgada pela Administração Nacional de Energia da China mostra que grandes empresas de energia vão trabalhar em parques heliotérmicos, incluindo China General Nuclear Power Group (CGN), China Huadian Corp, China Huaneng Group, China Guodian Corp (CGC), PowerChina, China Three Gorges and China Energy Conservation & Environmental Protection (CECEP) Group.