Torre heliotérmica gera energia 24 horas por dia

No deserto do estado de Nevada, nos Estados Unidos, é possível ver a torre de 195 metros de altura da usina heliotérmica Crescent Dunes. A torre é rodeada por mais de 10 mil espelhos que refletem o sol para a ponta dela. Apesar de parecer uma cena futurista, a grande inovação da usina está, na verdade, em seus tanques de armazenamento térmico. Dessa forma, a usina pode prover eletricidade sob demanda em qualquer momento, dia e noite.

Crescent Dunes é o carro-chefe da empresa SolarReserve. Por décadas, os engenheiros e os defensores da energia renovável têm lutado para alcançar o que a usina conseguiu: fornecimento barato de energia elétrica, em escala comercial, sem a utilização de combustíveis fósseis, mesmo quando não há vento ou sol.

A usina é apontada como a primeira usina de energia solar que pode armazenar mais de 10 horas de eletricidade, o que se traduz em 1.100 megawatts-hora, suficientes para abastecer 75.000 casas.

O armazenamento funciona com tanques de nitrato de sódio, que é bombeado até o topo da torre. O sal fundido pode alcançar temperaturas de 565°C e retorna aos tanques para manter o calor. Quando é necessária a electricidade, o sal quente é usado para ferver água e produzir vapor de alta pressão, que gira turbinas que geram electricidade.

Propriedades físicas e térmicas de sal fundido fazem da substância uma boa candidata para armazenamento de calor. Muitas outras usinas heliotérmicas ao redor do mundo usarem raios solares para transformar a água diretamente em vapor, mas a água é muito mais volátil do que o sal fundido e, com ela, o calor não pode ser facilmente armazenado.

A tecnologia de sal fundido em si não é nova. "O que a Crescent Dunes mostra é que nós podemos usar esta tecnologia junto com a energia heliotérmica para gerar eletricidade não intermitente", diz Yogi Goswami, professor da University of South Florida e especialista em energia solar. A recompensa, ele acrescenta, é que o armazenamento de 10 horas elimina a necessidade de utilizar combustíveis fósseis para fazer complementar a produção de electricidade em dias nublados e em horários de pico.

Em última análise, plantas de energia heliotérmica devem competir em preço com plantas fotovoltaicas, que convertem a luz solar diretamente em eletricidade, usando células solares. O preço de painéis fotovoltaicos despencou nos últimos anos, tornando essa tecnologia mais baratas do que a heliotérmica. Mas a energia fotovoltaica não pode garantir eletricidade contínua, certamente não durante a noite, a menos que estejam aparelhados com o seu próprio meio de armazenamento, que normalmente é um grande banco de baterias. No entanto, mesmo quando o melhor custo de tecnologia de bateria é levado em consideração, a energia fotovoltaica continua sendo mais cara do que a heliotérmica.

 

Fonte: HelioCSP

 

Comentários

Qual tipo de bomba é utilizado para gerar essa circulação do sal fundido? Imagino que o sal fundido deve ser manter no estado líquido durante todo circuito. Em qual temperatura o sal fundido seria bombeado? E qual viscosidade?