Energia Heliotérmica é discutida no Palmas Solar

Com o objetivo de inserir a capital tocantinense no cenário mundial de energia solar, o I Seminário Internacional Palmas Solar, realizado entre os dias 29 de junho e 1º de julho, na Universidade Federal do Tocantins (UFT), contou com a participação de diversos palestrantes especializados, integrantes de conceituadas instituições do Brasil e do mundo. Dentre as alternativas energéticas sustentáveis abordadas no evento, a Energia Heliotérmica ditou o tom dos debates na tarde do dia 30.

A questão da heliotermia foi abordada pelo Dr.Torsten Schwab, diretor da área de Energias Renováveis e Eficiência Energética da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, que coordena o projeto de Apoio ao Desenvolvimento de Energia Heliotérmica no Brasil (DKTI-CSP) da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável. 

O Tocantins é o estado com maior potencial solar da Região Norte, com destaque para as regiões de Dianópolis, Palmas, Porto Nacional e Jalapão. Sob a temática “Avaliação econômica, financeira e de emprego da energia solar”, o diretor Executivo da Associação Brasileira de Energia Solar (Absolar), Dr. Rodrigo Sauaia, destacou que desde 2013 o Brasil vem enfrentando uma restrição hídrica. “Isso nos levou não apenas a economia de consumo de água, mas a repensar o modelo e buscar novas alternativas de produção energética”, analisou, ressaltando que, de acordo com o Ministério de Minas e Energia, o Brasil produz apenas 0,03% de energia solar.

 

Adaptado de Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos de Palmas

Foto: Júnior Suzuki