Integração entre biomassa e HLT é tema de seminário em Florianópolis

Para apresentar os resultados de uma pesquisa sobre a possibilidade de aumentar o período de operação de usinas de cana de açúcar, integrando-as às tecnologias solares, o projeto “Avaliação Termodinâmica e Econômica de uma Usina de Cogeração a Bagaço de Cana Assistida por Energia Solar” realizou um seminário no dia 28 de outubro de 2014, em Florianópolis. O evento, que contou com a presença de importantes parceiros da indústria, como TGM, Valmet, STEAG, Boiling, Eletrosul e a Associação Beneficente da Industria Carbonífera de Santa Catarina (SATC), foi produzido em parceria entre a Universidade de Duisburg-Essen, da Alemanha, a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC).

A colheita de cana-de-açúcar, matéria prima para a produção de biomassa no Brasil, acontece, principalmente, entre abril e dezembro; nas outras partes do ano, as usinas são operadas com carga reduzida ou são completamente desligadas. Para prolongar o período de produção fora das épocas de colheita, o projeto estudou as possibilidades de aumento da capacidade produtiva por meio da integração das turbinas à energia solar. Dessa forma, o fornecimento energético pode se tornar mais estável e eficiente. Uma das alternativas seria a integração de calor solar coletada por calhas parabólicas para o pré-aquecimento da água de alimentação dos geradores de vapor.

Na pesquisa apresentada, foram analisados cenários baseados nas configurações típicas de usinas de etanol já existentes no mercado. Para os modelos selecionados, verificou-se que a utilização da infraestrutura das usinas de biomassa combinado com a energia heliotérmica pode levar à redução do custo de produção da energia elétrica. Para isso, são necessárias algumas modificações no ciclo a vapor e a instalação de um campo solar para maximizar a contribuição solar nos períodos de entressafra, quando a produção de cana-de-açúcar está parada.

A pesquisa foi realizada em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), no âmbito do Programa Novas Parcerias (i-NoPa), implementado no Brasil pelo Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD), pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e pela Iniciativa Alemã para Tecnologias Limpas (DKTI) – esta última por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, encarregada do Ministério de Cooperação Econômica e Desenvolvimento da Alemanha (BMZ).

O i-NoPa promove pesquisas aplicadas e orientadas às demandas da sociedade, com o objetivo de estabelecer novas parcerias para a inovação e para o desenvolvimento sustentável nas áreas prioritárias da cooperação Brasil-Alemanha. Os seminários de apresentação dos resultados de pesquisa são um importante instrumento do i-NoPa para apresentar à indústria e outros potenciais usuários os resultados das pesquisas, bem como discutir as formas de continuidade da cooperação entre pesquisa aplicação.